Como e Por Que Calcular a Ingestão de Álcool do Seu Paciente?

Atualizado: Jan 15

Nutricionista, na hora de avaliar o consumo alimentar você leva em consideração o consumo de álcool do seu paciente? Se sua resposta for não, reveja seus conceitos! O consumo de bebidas alcoólicas interfere na vida do paciente, tanto por seus efeitos nocivos ao organismo quanto pelo seu valor energético que pode levar o indivíduo ao sobrepeso e obesidade, dependendo da quantidade, frequência e modo de consumo!


foto: photomixcomoany/ fonte: pixabay.com

O álcool é a única droga psicoativa que fornece calorias (7,1 kcal/g). Porém, ele é uma fonte de energia diferente de todas as outras, pois não pode ser estocado no organismo. Como uma substância tóxica, deve ser eliminado imediatamente. Assim, o álcool tem prioridade no metabolismo, alterando outras vias metabólicas, incluindo a oxidação lipídica. Causando assim, dentre outras coisas, a esteatose hepática e também obesidade. Isso significa que o fígado – para dar conta de metabolizar o álcool – deixa um pouco “de lado” a metabolização das gorduras vindas dos petiscos, das batatas fritas e dos demais acompanhamentos da famosa cervejinha do final de semana. E isso sim causa a famosa “barriga de chopp”.


Indivíduos que relatam consumo moderado ou frequente, mas que ainda não são dependentes, podem ter maior porcentagem de gordura corporal (%GC) e também maiores valores de prega cutânea tricipital (DCT) do que aqueles que não consomem álcool. Além disso, o consumo de bebidas alcoólicas pode interferir na absorção de nutrientes importantes para o aumento de massa muscular (hipertrofia), causar desidratação (por aumentar a diurese), comprometer a força, a potência, endurance muscular (resistência) e também favorecer o surgimento de doenças crônicas não transmissíveis (doenças cardiovasculares, câncer, diabetes…).


Você Sabia?


foto: alexas fotos/ fonte: pixabay.com

O consumo de álcool é apontado como responsável por grande número de acidentes de trânsito, violência doméstica, aumento da morbimortalidade por doenças cardiovasculares, cirrose hepática e distúrbios psiquiátricos.


Pensando nisso, para calcular as calorias vindas da ingestão de álcool de seu paciente:


foto: pexels/ fonte: pixabay.com

  1. Pegue o valor da porcentagem média de álcool da bebida e divida-o por 100.

  2. Multiplique o resultado obtido por 0,8 (densidade do álcool).

  3. Multiplique o valor encontrado pelo total de bebida alcoólica ingerida pelo paciente (em mL).

  4. Multiplique o número obtido por 7 (quantidade de kcal presentes em 1g de álcool).

Pronto! O resultado desta conta é o valor de calorias do álcool vindas da bebida ingerida pelo paciente. Caso precise, o nutricionista ainda pode calcular este valor por semana e também por mês!


Assim, a quantidade de álcool consumida, assim como a de alimentos ingeridos, é importante para avaliar a história alimentar do paciente e também seu estado nutricional e de saúde. Na avaliação alimentar das Planilhas Cookie®, este cálculo é feito automaticamente! Este método ajuda no sucesso do seu atendimento e de sua prescrição nutricional!


→ Saiba mais sobre as Planilhas Cookie® ←




Bibliografia Consultada:


JOMAR, R.T.; FONSECA, V.A.O.; ABREU, A.M.M.; GRIEP, R.H. Perfil do consumo de álcool de usuários de uma unidade de Atenção Primária à Saúde. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 64, n. 1, p 55-62, 2015.


KACHANI, A.T.; BRASILIANO, S.; HOCHGRAF, P.B. O impacto do consumo alcoólico no ganho de peso. Revista de Psiquiatria Clínica, v. 35, n. 1, p. 21-24, 2008.


OLIVEIRA, D.G.; ALMAS, S.P.; DUARTE, L.C.; DUTRA, S.C.P.; OLIVEIRA, R.M.S.; NUNES, R.M.; NEMER, A.S.A. Consumo de álcool por frequentadores de academia de ginástica. Jornal Brasileiro de Psiquiatria, v. 63, n. 2, p. 127-132, 2014.

Toledo e Souza Prestação de Serviços Ltda/ Copyright© 2001 - Cookie

CNPJ: 28.831.601/0001-65

Av. D, n. 419, 4º andar - Setor Marista

Goiânia/ GO - CEP 74.150-040

contato@cookie.com.br/ WhatsApp (62) 98134.3414