Você Sabe Qual é a Diferença Entre Percentil e Score Z?

Atualizado: Mai 20

Acompanhar o crescimento da criança é uma forma de avaliar seu #EstadoNutricional e de saúde geral. Por isso, é de extrema importância que o nutricionista avalie o peso e a estatura dos seus pequenos pacientes a partir das curvas de crescimento.


score Z percentil
Fonte: pixabay.com

Mas o que são curvas de crescimento?


O processo de crescimento é complexo e multifatorial. Engloba a composição genética da criança, fatores hormonais, nutricionais e psicossociais. Quando há variação do padrão normal do ganho de peso, isso pode ser a primeira manifestação de enfermidade e/ou alterações nutricionais.


As curvas de crescimento são um guia usado por #nutricionistas e demais profissionais de saúde para monitorar o ganho de peso e de estatura de crianças. Elas ajudam na determinação do #DiagnósticoNutricional e #DiagnósticoAntropométrico, bem como a nortear as condutas adequadas na orientação nutricional.


Os nutricionistas e pediatras se baseavam nas curvas de crescimento elaboradas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Porém, ainda existem duas outras curvas: uma do ano 2000 e publicada pelo Centers for Disease Control and Prevention (CDC), e a primeira delas, do ano de 1977, do National Center for Health Statistics (NCHS).


A OMS resolveu lançar, em 2006 e 2007, novas curvas para avaliar o crescimento de crianças e adolescentes devido a divergências das outras duas curvas, como: procedência do banco de dados, idade das crianças avaliadas, tipo de alimentação, entre outros fatores, apontados por diversos estudos.


Assim, hoje temos disponíveis as curvas de crescimento que contêm medidas antropométricas de peso, comprimento (estatura medida com a criança deitada, que pode ser tomada e crianças até 2 anos de idade) e estatura. Partindo dessas três medidas foram criados os seguintes indicadores, para meninos e meninas:

  • Peso/ Idade

  • Peso/ Estatura

  • Estatura/ Idade

  • IMC/ Idade


Percentil ou Score-z?


Para avaliar o estado nutricional de uma criança a partir das curvas de crescimento, podem ser utilizados dois parâmetros: percentil e score-z. Os pontos de corte definidos por percentil e score-z servem para investigar situações de normalidade e de risco nutricional (peso e estatura inadequados para sexo e idade). Para utilizá-los é preciso saber o objetivo da avaliação, para que ocorram erros no diagnóstico nutricional.


No momento da avaliação antropométrica da criança, assume-se que suas medidas antropométricas devem seguir uma distribuição normal, ou seja, de uma população com o crescimento saudável.


As medidas de percentil tendem a ser mais sensíveis, ou seja, mais abrangentes. Em outras palavras, crianças classificadas como risco nutricional a partir do percentil podem estar apenas próximas de uma situação de risco, mas não necessariamente em risco nutricional.


As medidas de score-z, também chamado de escore-z, são mais específicas, ou seja, elas detectam com mais precisão os casos mais graves de risco nutricional. Em outras palavras, crianças classificadas como risco nutricional a partir do score-z certamente estão com déficit de peso e/ou estatura. Porém, se a criança estiver classificada como próxima da classificação de risco, pode ser que ela já esteja fora dos padrões de normalidade.


Para entender melhor como isso funciona na prática, assista ao vídeo:



Recentemente, o uso do score-z vem sendo estimulado pela OMS, o que permitiria uma padronização e uma maior comparabilidade entre as estatísticas de desenvolvimento infantojuvenil dos diferentes países, bem como das avaliações feitas por profissionais diferentes.


E você, nutricionista? Qual destas medidas você mais utiliza no consultório? Conte-nos nos comentários! 🙂


Gostou do que leu? As Planilhas Cookie® permitem que você avalie seu paciente tanto pelo percentil quanto pelo score-z! Você escolhe! Quer saber mais? Clique aqui!



Bibliografia Consultada:


ACCIOLY, E.; SAUNDERS, C.; LACERDA, E.M.A. Nutrição em obstetrícia e pediatria. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009. 649 p.


Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Incorporação das curvas de crescimento da Organização Mundial da Saúde de 2006 e 2007 no SISVAN.


PIRES, B.S.; AKUTSU, R.C.; COELHO, L.C.; ASAKURA, L.; SACHS, A.; ABRÃO, A.C.V.F.; COCA, K.P. Comparação entre as curvas de crescimento do Centers for Disease Control and Prevention e da Organização Mundial da Saúde para lactentes com idade de seis a 12 meses. Revista Paulista de Pediatria, v. 28, n. 4, p. 314-319, 2010.


Planilhas Cookie®


Site do Departamento de Atenção Básica (DAB) – Vigilância Alimentar e Nutricional


Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. Avaliação Nutricional da Criança e do Adolescente: Manual de Orientação. Rio de Janeiro, 2009.


VITOLO, M.R. Nutrição: da gestação ao envelhecimento. Rio de Janeiro: Editora Rubio, 2008. 628 p.