Carrinho Vazio

Blog da Cookie

Saúde Nota 1000: Conheça 4 Alimentos Antioxidantes

alimentos antioxidantes

Oi, pessoal! Hoje estamos aqui para falar sobre 4 alimentos antioxidantes: além de muito gostosos, fazem um bem danado à saúde. Por quê? Porque muitos de seus componentes e metabólitos possuem propriedades promotoras de saúde – são os chamados fitonutrientes. A importância dos componentes antioxidantes na manutenção da saúde, proteção contra doenças cardiovasculares, doenças neurodegenerativas, aterosclerose, envelhecimento precoce, diabetes e até mesmo o câncer está aumentando de forma considerável o interesse entre os cientistas, fabricantes de alimentos e consumidores. Assim, estes alimentos são vistos como a tendência do futuro para seus efeitos específicos na saúde.

alimentos antioxidantes

Vamos conhecê-los?!

1º alimento do bem: Beterraba (Beta vulgaris L.)

Originária de regiões europeias e norte-africanas de clima temperado, a beterraba merece estar na lista dos alimentos do bem. A parte comestível é uma raiz tuberosa de formato globular e gosto doce. Sua cor vermelho-arroxeada é graças às betalaínas. As betalaínas compreendem as betacianinas (vermelhos) e as betaxantinas (amarelas). A beterraba vermelha possui maior percentagem (75-95%) de betacianinas. As betalaínas apresentam forte atividade antioxidante e alta biodisponibilidade em humanos.

Estudos de quimioprevenção do câncer já demonstraram em animais que o extrato de beterraba vermelha pode ser eficaz na supressão do desenvolvimento de tumores em múltiplos órgãos.

beterraba antioxidante

Para os atletas e praticantes de atividades físicas, a beterraba tem outra funcionalidade: potente fonte de nitrato. Um estudo realizado relatou que o consumo da beterraba melhorou a performance na corrida em adultos saudáveis. Isso porque o nitrato presente no suco desse vegetal reduz a necessidade de consumo de oxigênio, o que fez com que o exercício fosse menos cansativo.

100 g de beterraba contém:
49 Kcal
1,9 g de proteína
11,1 g de carboidrato
3,4 g de fibras
18 mg de cálcio
24 mg de magnésio
19 mg de fósforo
375 mg de potássio
3,1 mg de vitamina C

2º alimento do bem: Cenoura (Dacus carota)

A cenoura é uma raiz nativa da Europa e da Ásia, mas é cultivada em várias regiões do mundo e tende a se adaptar melhor em climas amenos.

A raiz é uma boa fonte de ácidos fenólicos, fibras e também carotenoides, como o beta-caroteno (precursor da vitamina A) e luteína – ambos antioxidantes. Portanto, pesquisas sugerem que e cenoura é um importante aliado na nutrição preventiva contra o câncer. Um estudo em humanos analisou se uma dieta rica em carotenoides poderia modificar processos relevantes para o surgimento do câncer de cólon. Após 2 semanas de intervenções com sucos ricos em carotenoides, houveram pequenas alterações nos biomarcadores investigados – relevantes para a carcinogênese de cólon.

cenoura antioxidante

Outro estudo pesquisou sobre a possível proteção cardiovascular que a cenoura promove. Ele investigou em ratos os efeitos da suplementação de 3 semanas de dieta com cenoura (15% de matéria seca) sobre o metabolismo dos lipídios e capacidade antioxidante. Concluiu-se que o consumo de cenoura modifica a absorção do colesterol e a excreção de ácidos biliares, além de aumentar a capacidade antioxidante. Desta forma, esses efeitos podem ser interessantes para a proteção cardiovascular.

A cenoura também pode fazer um bem específico para homens: ela pode melhorar a qualidade do esperma! Um estudo relatou que homens que comiam uma quantidade maior de três antioxidantes encontrados em frutas e legumes possuíam espermas com melhor motilidade e morfologia. Os três antioxidantes são beta-caroteno, luteína e licopeno (encontrado no tomate). Este estudo mostrou ainda uma associação entre o maior consumo alimentar de alimentos de fontes de carotenoides (como a cenoura) e a melhora da motilidade dos espermatozoides, além de um maior número de espermatozoides com formato normal. Moral da história: homens, comam cenoura!

100 g de cenoura contém:
34 Kcal
1,3 g de proteína
7,7 g de carboidrato
3,2 g de fibras
23 mg de cálcio
11 mg de magnésio
28 mg de fósforo
315 mg de potássio
5,1 mg de vitamina C

3º alimento do bem: Laranja (Citrus sinensis)

laranja antioxidante

A laranja é nativa do sudeste da Ásia. É uma das frutas cítricas mais populares do mundo.

Boa fonte de vitamina C, o que implica excelentes efeitos na saúde – e não é pra menos! A vitamina C é essencial para o desenvolvimento e manutenção de tecidos conjuntivos. Ela desempenha um papel importante na formação dos ossos, cura de feridas e manutenção da saúde das gengivas. Um estudo avaliou se o tratamento antioxidante com altas doses de vitamina C poderia levar à redução do edema e prevenção da ativação de leucócitos em ratos queimados. O resultado apresentou que a vitamina C em altas doses reduz o risco de ruptura de pequenos vasos, evitando assim o risco de infecção e inflamação na pele queimada. E, falando em pele, estudos comprovaram os efeitos positivos da vitamina C no retardo à hiperpigmentação da pele (manchas) e envelhecimento… adorei!

A vitamina C desempenha um papel importante em várias funções metabólicas, incluindo a ativação da vitamina B, ácido fólico, conversão de colesterol em ácidos biliares e conversão do aminoácido triptofano para o neurotransmissor serotonina (aquele que promove a sensação de prazer e bem estar). E além de tudo é um antioxidante que protege o corpo dos danos de radicais livres. É utilizada como agente terapêutico em muitas doenças e distúrbios.

Por ser uma fruta rica em antioxidantes, seu consumo reduziria o risco de eventos cardiovasculares adversos. Um estudo verificou que a ingestão de quatro semanas de suco de laranja comercial reduziu a pressão arterial em voluntários saudáveis. O suco de laranja comercial é mais concentrado em flavonoides, pectina e óleos essenciais, o que torna o suco mais eficaz na redução da pressão sanguínea.

100 g de laranja contém:
45 Kcal
11,5 g de carboidrato
0,8 g de fibras
35 mg de cálcio
24 mg de fósforo
174 mg de potássio
56,9 mg de vitamina C

4º alimento do bem: Morango (Fragaria vesca)

O morango é originário da Europa e apresenta matérias aromáticas que atuam nos nervos do olfato e do gosto aumentando o apetite. Além de estimular os processos de absorção do organismo infantil, o morango aumenta a resistência às infecções e tem ação anticancerígena, bloqueando a iniciação da carcinogênese e suprimindo a progressão e proliferação de tumores.

O morango é uma fonte importante de algumas vitaminas como a vitamina C, vitamina A e folatos. Além disso, é rico em pectina e outras fibras solúveis que auxiliam na redução do colesterol. Pesquisadores da Itália e da Espanha sugerem em estudo que comer morangos ajuda a reduzir significativamente índices do mau colesterol e dos triglicerídeos, além de melhorar outros índices, como o de biomarcadores antioxidantes – graças às antocianinas (responsável pela coloração vermelha) e o ácido elágico. Como o ácido elágico não é destruído na cocção, tortas e/ou geleias de morango possuem este polifenol com fortes propriedades antioxidantes.

morango antioxidante

Um grupo de pesquisadores avaliou o efeito do extrato do morango sobre a Doença Inflamatória Intestinal (DII) induzida experimentalmente em ratos albinos. Exemplos da DII são a Doença de Crohn e Colite Ulcerativa. O resultado apresentou melhoria significativa da DII induzida experimentalmente, que pode ser atribuído às propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da fruta.

Outras pesquisas realizadas relataram ainda que os morangos ajudam a proteger o corpo da radiação ultravioleta, reduz os efeitos do álcool no estômago e ainda fortalece as células vermelhas do sangue, aumentando sua capacidade de antioxidação. Isso é o poder do antioxidante!!

100 g de morango contém:
30 Kcal
6,8 g de carboidrato
1,7 g de fibras
11 mg de cálcio
10 mg de magnésio
22 mg de fósforo
184 mg de potássio
63,6 mg de vitamina C

Mas como estamos aqui para facilitar – além de informar, é claro –, apresentamos para você um produto que contém todos os alimentos acima… e mais algumas coisinhas!

O DetoxPink da Sanavita é um nutricomplexo de frutas e vegetais com beterraba, cenoura, laranja, morango e gengibre. Este último é super do bem também, pois além de ser um potente termogênico, é hepato-protetor. O DetoxPink é top de linha – a começar pela cor fashion. Seu sabor também é divino!

Além disto, é feito com ingredientes selecionados, adquiridos pelos melhores fornecedores de extratos concentrados de frutas e vegetais disponíveis no mercado. É livre de conservantes, aromas e corantes artificiais.

Para alegrar ainda mais o dia, ele é 0% gordura e 0% açúcar, sendo um produto diet adoçado com sucralose. Calorias? 44 kcal por porção! OMG! É claro que, como nutricionistas, defendemos a ingestão das frutas in natura, sucos naturais e saladas frescas e coloridas. Mas que tal substituir outras bebidas não saudáveis por essa, cheia de sabor e saúde?

Alimente-se com frequência com os 4 alimentos do bem e tenha uma saúde firme e forte. Mas, quando não der para comê-los, beba-os – tudo junto e misturado! Tintim!

Gostou do post?

Cadastrar agoraCadastre-se no site da Cookie para receber mais notícias, novidades e curiosidades sobre alimentação. É rápido, prático, gratuito e, de quebra, você poderá escolher e-books sobre nutrição que serão enviados diretamente para seu e-mail! 🙂

.

Texto: Dennia Trindade
Revisão: Lúria Papacosta

>Post patrocinado<

Bibliografia Consultada:

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). NEPA-UNICAMP: Campinas, 2011. 161 p.

KANODIA L.; BORGOHAIN, M.; DAS, S. Effect of fruit extract of Fragaria vesca L. on experimentally induced inflammatory bowel disease in albino rats. Indian Journal of Phamacology, 2011.

QUINATO et al. Aspectos nutricionais e funcionais do morango. Visão Acadêmica, 2007.

HANNUM, S. M. Potential impact of strawberries on human health: a review of the science. Critical reviews in food science and nutrition, 2004.

TULIPANI, S.; MEZZETTI, B.; BATTINO, M. Impact of strawberries on human health: insight into marginally discussed bioactive compounds for the Mediterranean diet. Public Health Nutrition, 2009.

GIAMPIERI et al. The strawberry: composition, nutritional quality, and impact on human health. Nutrition, 2012.

ASGARI, S.; KESHVARI, M. Effects of Citrus sinensis juice on blood pressure. ARYA Atherosclerosis, 2013.

BARBOSA, N. S.; KALAAJI, A.N. CAM use in dermatology. Is there a potential role for honey, green tea, and vitamin C? Complementary Therapies in Clinical Practice, 2014.

CHAMBIAL et al. Vitamin C in disease prevention and cure: an overview. Indian Journal of Clinical Biochemistry, 2013.

KREMER et al. High-dose vitamin C treatment reduces capillary leakage after burn plasma transfer in rats. Journal of Burn Care and Research, 2010.

SIKORA, M.; HALLMANN, E .; REMBIAŁKOWSKA, E . The content of bioactive compounds in carrots from organic and conventional production in the context of health prevention. Roczniki Państwowego Zakładu Higieny, 2009.

NICOLLE et al. Effect of carrot intake on cholesterol metabolism and on antioxidant status in cholesterol-fed rat. European Journal of Nutrition, 2003.

ZAREBA et al. Semen quality in relation to antioxidant intake in a healthy male population. Fertility and Sterility, 2013.

SCHNÄBELE et al. Effects of carrot and tomato juice consumption on faecal markers relevant to colon carcinogenesis in humans. The British Journal of Nutrition, 2008.

SHARMA et al. Chemical composition, functional properties and processing of carrot – a review. Journal of Food Science and Technology, 2012.

KUGLER, F.; STINTZNZING, F. C.; CARLEN, R. Evaluation of the antioxidant capacity of betalainic fruits and vegetables. Journal of Applied Botany and Food Quality, 2007.

KAPADIA et al. Cytotoxic effect of the red beetroot (Beta vulgaris L.) extract compared to doxorubicin (Adriamycin) in the human prostate (PC-3) and breast (MCF-7) cancer cell lines. Anticancer Agents in Medicinal Chemistry, 2011.

ALVES et al. Desenvolvimento e estado nutricional da beterraba em função da omissão de nutrientes. Horticultura Brasileira, 2008.

MURPHY et al. Whole beetroot consumption acutely improves running performance. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics, 2012.

HAMERSKI, L.; REZENDE, M. J. C.; SILVA, B. V. Usando as cores da natureza para atender aos desejos do consumidor: substâncias naturais como corantes na indústria alimentícia. Revista Virtual de Química, 2013.

Deixe o seu comentário

Carrinho Vazio