Carrinho Vazio

Blog da Cookie

9 Enzimas Para Melhorar a Digestão e Combater a Dispepsia

dispepsiaOi, pessoal. Neste post abordaremos um assunto importantíssimo, porém pouco falado: as enzimas digestivas. A capacidade digestiva e absortiva do trato digestivo é fundamental, pois é desta forma que o corpo utiliza os nutrientes e energia provenientes da alimentação. Sem as enzimas, a vida não seria possível.

As enzimas digestivas são produzidas e secretadas pela boca, estômago, pâncreas, vesícula e intestinos e ajudam no processo da digestão dos alimentos para que seus elementos constituintes se tornem biodisponíveis. A atividade das enzimas digestivas depende do estado nutricional, grau de poluição do organismo, níveis de estresse físico e mental, código genético e do meio ambiente intracelular, extracelular e corpóreo.

intestinoA disfunção das enzimas digestivas está intimamente ligada a alguns diagnósticos, como síndrome da má absorção, doenças disabsortivas, disbioses, parasitoses, intolerância alimentar e outros. Ainda, o aumento da permeabilidade intestinal por disfunção do enterócito permite a absorção de subprodutos proteicos mal digeridos, o que pode ocasionar processos inflamatórios crônicos e doenças autoimunes. Desta forma é preciso que nossas enzimas digestivas estejam trabalhando com 100% de eficácia e a suplementação pode ser indicada para acabar de vez com a dispepsia (dificuldade de digestão; digestão lenta e difícil).

Abaixo, listamos as principais enzimas digestivas e sua indicação para suplementação:

  • Papaína – enzima proteolítica com ação anti-inflamatória. Auxilia na digestão de proteínas em pacientes com dispepsia crônica e gastrite.
  • Betaína (HCl) – atua nas desordens do fígado e gastrintestinais. A betaína aumenta a retenção hídrica celular, além de proteger as enzimas intracelulares da desnaturação induzida por alta temperatura ou osmolaridade. Adicionalmente, especula-se que a betaína possa contribuir para a síntese de creatina no músculo esquelético.
  • Pancreatina – enzima pancreática. Importante na insuficiência pancreática, dispepsia, pancreatite e esteatorreia.
  • Amilase – enzima responsável pela hidrólise de polissacarídeos. Facilita e acelera e digestão do amido, gorduras e proteínas. Desta forma pode aumentar a utilização dos alimentos pelo corpo e ser utilizada no tratamento da deficiência de secreção do suco pancreático e nas inflamações crônicas do pâncreas.
  • DigestãoBromelina – atua como anti-inflamatório, pois age na síntese de prostaglandinas; antiedema, pois reduz a bradicinina sérica e efeito inibidor da coagulação, aumentando a atividade fibrinolítica e síntese de fibrinogênio. É indicada na presença de tumores, moduladora do sistema imunológico, mucolítica, pontencializadora de antibióticos, digestiva, na redução da incidência de infarto coronariano.
  • Protease – enzima secretada pelo pâncreas que participa na degradação das proteínas, resultantes da ação da pepsina gástrica. A protease é secretada na forma de pró-enzima e é ativada pelo suco intestinal.
  • Lipase – responsável pela quebra e absorção das gorduras no intestino. Utilizado na indigestão, deficiência de enzimas pancreáticas, fibrose cística, doença celíaca. Seu uso não deve ser concomitante ao do Cloridrato de betaína ou Ácido clorídrico, pois causaria a destruição da Lipase.
  • Lactase – enzima responsável pela hidrólise da lactose a glicose e galactose. Sua deficiência ou ausência de produção (alactasia/ intolerância à lactose) inviabilizam a digestão da lactose que, ao chegar ao intestino grosso, origina diarreia fermentativa, flatulência e outros transtornos digestivos.
  • Pepsina – esta enzima e ativada pelo suco gástrico e age na quebra de algumas ligações peptídicas ainda no estômago, liberando moléculas de menor tamanho para posterior absorção no intestino.

Saúde do IntestinoHoje é possível encontrar essas enzimas manipuladas. Na Supleforma, empresa que trabalha com suplementos alimentares manipulados, parceira da Cookie, você encontra todas as enzimas descritas acima. Mas antes de utiliza-las, consulte um gastroenterologista, para identificar o seu problema, e um nutricionista, para a prescrição da enzima, bem como um plano alimentar condizente com seu quadro clínico.

Garantir a eficácia do trato digestivo é uma das melhores maneiras de garantir a saúde para o corpo inteiro. Afinal, nutrientes devidamente quebrados e absorvidos resultam em um corpo bem nutrido. E, você sabe: Nutrição é saúde!

Gostou do que leu?

Siga cookie no instagram

Texto: Dennia Trindade
Revisão: Lúria Papacosta

Bibliografia Consultada:

SILVA, G. E.; TEIXEIRA, I. G. Enzimas digestivas: uso terapêutico. Journal of Biomolecular Medicine and Free Radicals, 1997.

FAVERO, S. M. Efeitos da suplementação de betaína, combinada ou não com a suplementação de creatina, sobre a força máxima, potência e concentrações intramusculares de fosforilcreatina, em indivíduos não treinados em força. Dissertação de Mestrado. Escola de Educação Física e Esporte, Universidade de São Paulo (USP), 2012.

Deixe o seu comentário

Carrinho Vazio